DARK GERO


21/10/2008


Lugar Nenhum (Dark Gero)

Esse conto foi feito especialmente em homenagem a uma linda garota virtual. Espero que goste.



LUGAR
NENHUM
(Dark Gero)


Ela estava nervosa. Tentava disfarçar, mas era difícil fazer as mãos pararem de tremer. Suas pernas também estavam um pouco bambas, tanto que ela sentou-se num banco próximo. A todo instante perguntava-se o que estava fazendo ali. E toda vez que fazia isso sua vontade era de sair correndo. Olhava ao redor inquieta, mesmo tentando se policiar para não parecer uma boba ansiosa. E se ele estivesse de longe olhando para ela naquele momento? Rindo, talvez.
Levantou-se, só de imaginar essa suposição. Havia muitas pessoas no shopping naquela noite; ele podia estar em qualquer lugar. Olhou para o celular. Ele estava quinze minutos atrasado! E se ele tivesse entendido mal o lugar do encontro? Pior... e se ele estivesse brincando com a cara dela? Ela arrepiou-se só de imaginar. Um arrepio de raiva. Claro! Podia ser isso também... Ele apostara com ela que iria conquistá-la e fazê-la esquecer seu namorado... Uma sensação estranha tomou conta dela, embrulhando seu estômago.
Não faz isso comigo... Não faz isso comigo...
Resolveu relaxar. Respirou fundo, tentando se controlar. Ele não seria tão cretino assim. Eles só se conheciam virtualmente, mas pelas suas conversas, dava para traçar o perfil do caráter dele. Ou não...
Balançou a cabeça.
Havia várias outras possibilidades. Podia ter se atrasado com o transporte. Sofrido um acidente! Droga! Por que ela estava daquele jeito? Ela sempre fora forte, inabalável. Geralmente, teria ido embora nos primeiros cinco minutos de atraso. Se o babaca se atrasasse, azar o dele. Por que esse imbecíl fazia-a se sentir tão vulnerável?
Depois de dez minutos ela se levantou, furiosa. Sentia-se a garota mais idiota do mundo. Brigara com seu namorado, marcara um encontro com aquele babaca e ele devia estar em casa, sorrindo dela. Ia andando vermelha de ódio. Estava tão cega que nem percebeu o garoto que vinha em sua direção. Esbarrou nele.
─ Oh, desculpe! Eu...
─ Não, não, eu é quem esbarrei em você ─ ele disse com um sorriso no rosto. Era alto, quase loiro. Tinha olhos azuis marcantes. ─ Você tá bem? Parece...
─ Eu estou ótima. Tenho que ir...
Ele segurou levemente seu braço.
─ Eu sei que não é da minha conta, mas você parece nervosa demais, garota. Olha, alguém fez isso com você? ─ ele olhou profunda e seriamente nos olhos dela.
─ Não. Já disse que não é nada.
─ Então não vai negar tomar um sorvete comigo, vai? Não está acompanhada, está? ─ ele deu um sorriso largo, irresistível.
Acompanhada... Sentiu mais raiva ainda daquele idiota com que marcara o encontro. Aceitaria sim o sorvete, pelo menos sua noite não seria em vão.
─ Talvez eu esteja um pouco nervosinha sim. Um sorvete cairia bem ─ ela sorriu.
Ele retribuiu o sorriso com satisfação.
─ Prazer, Senhorita Nervosinha. Meu nome é Alex.
─ Pode me chamar de Gil.


● ● ●

Alex era incrível! Fizera-a esquecer totalmente a frustração que tomara conta dela. Ele era inteligente, engraçado, bonito... Deram uma volta pelo shopping depois de tomar o sorvete, totalmente descontraídos. Ele a fazia se sentir estranhamente à vontade, como se o conhecesse há anos. Não falou muito dele; na verdade estava interessado em ouvi-la, o que é raríssimo em um homem com as qualidades que ele tinha. Ela omitiu o encontro marcado pela internet. Não queria que ele pensasse que ela era uma boba por ter caído naquela. Devia ter seguido sua intuição e não ter ido, mas seguira seus instintos...
Estava ficando tarde. Eram quase nove da noite.
─ Tenho de ir, Alex.
─ Mas já? ─ ele fez uma expressão doce de desapontamento.
─ Infelizmente.
─ Posso te deixar em casa, estou de moto.
Ela pensou rápido. Mal o conhecia, não podia confiar logo de cara.
─ Obrigada, mas acho melhor não.
─ Te acompanho até a parada, então...
─ Tudo bem ─ ela sorriu.
Enquanto andavam para a saída do shopping, ele passou a mão sobre os ombros dela. Gil sentiu um certo desconforto e ao mesmo tempo um arrepio de satisfação. Estava se sentindo segura. Ainda conversaram na parada de ônibus, quando Alex tocou no assunto:
─ Você tem namorado?
─ Tenho.
─ E onde está ele, deixando você passear sozinha no shopping?
─ Na verdade eu estava com umas amigas e elas foram embora ─ Gil era péssima mentindo. Deixou transparecer.
─ Você é linda, sabia? ─ ele cortou de repente.
─ Obrigada ─ ela ficou sem jeito.
─ Eu sei que ele te deu um bolo.
Gil ficou branca.
─ Como...?
─ Seu namorado, te deu um bolo. Por isso você estava tão nervosa e resolveu aceitar meu convite. Mas não se preocupe, eu só queria ver você se sentindo melhor. É um desperdício uma garota tão linda escondendo seu belo sorriso atrás do desapontamento.
Gil sorriu. De certa forma ele a pegara. Pelo menos não acertara no fato de ela estar esperando outra pessoa, não o namorado. Mas estava terrivelmente sem jeito por de certa forma ter usado Alex e ele ter consciência disso.
─ Você tem Orkut, MSN?
─ Tenho sim.
Os dois trocaram contatos. Gil viu seu ônibus vindo.
─ Meu ôni...
Alex não a deixou completar a frase. Ele a beijou de repente, deixando-a paralisada.
─ Te vejo por aí, garota.
Gil estava sem ação. Apenas sorriu, assentindo com a cabeça.
Entrou no ônibus.


● ● ●

Ela entrou no MSN depois de passar vários minutos maquinando o que dizer para o cretino quando ele viesse se desculpar por não ter ido ao encontro. Ele não estava online. Aproveitou para adicionar Alex. O íconezinho dele estava verde.
─ Oi.
─ Ooiiiii!
─ Estava pensando em vc.
─ Eu tbm. Mas ja te disse tenho namoradu...
─ Talvez ele não seja a pessoa certa pra vc...
─ O que te faz pensar isso?
─ Pq eu vi o quanto nós combinamos.
Ele mandou um emotion de um coração girando.
─ Vc é legal. Gostei de vc tbm...
─ legal...?
─ Ta bom, te achei d+! Seu bjo mxeu cmigo.
─ Foi a melhor coisa que eu poderia ter feito...
─ Mas o que vc quer que eu faça?
─ Termine com ele.
─ Eu gosto dele. Te conheci ontem! Não posso trocar ele por vc assim...
─ tem algo que eu preciso te falar...
─ ??
─ Na verdade vc já me conhecia.
─ Naum. Tenhu certeza!
─ Mesmo? Talvez com outro nome... outro rosto...
─ ??
─ Quem vc realmente estava esperando ontem?
Gil sentiu o coração bater mais forte. A respiração acelerou. Não podia ser...
─ Vc é o Dark Gero!!??
─ Sim.
Gil não poderia descrever a sensação pelo qual estava passando. Dark Gero... Era esse o Nick Name do cara com que marcara um encontro na noite anterior. Na verdade se conheciam há algumas semanas. A princípio, ele a enfurecia por não dizer quem era, pois não mostrava nenhuma foto nem falava nenhuma informação pessoal. Mas o que lhe chamou a atenção nele fora sua atitude marrenta e sua segurança. Na verdade, ele se achava totalmente. Dizia a ela que era capaz de fazer com que ela esquecesse o namorado e se apaixonar por ele. Fez até uma aposta, que se ele não conseguisse essa façanha em três conversas pelo MSN, ele mostraria seu rosto. Foi durante essas conversas que ela foi vendo aos poucos quem ele era. Escrevia em um blog, onde publicava contos de terror. Pediu que ela lesse, mas ela não estava muito interessada, inventando que ia estudar. Acabou dando uma olhada e não conseguiu mais parar. De fato ele escrevia bem. Aí vieram os elogios dele, sempre a colocando para cima. Ele sabia conversar, tratá-la bem. Era um prazer conversar com ele. Até um dia, em que ele a insultou. Ela furiosa, com sua usual impaciência, mandou-o para o inferno, mandou-o deixá-la em paz... Então ele mostrou o rosto... Mostrou seu perfil no Orkut. Ela viu suas fotos. Não era como ela imaginava. Na verdade, já havia conversado com ele antes. Não tinha mais o que cobrar dele, mas ele tinha dela. Um encontro. Ele insistira tanto naquele encontro, que ela se viu obrigada a ir. Mas não podia negar que estava interessada.
E agora aquilo?
─ Mentira. Olha, isso não tem graça!
─ Desculpa ter feito isso, mas eu precisava fazer esse teste...
─ Teste? Eu fui tua cobaia? E o Orkut que eu vi?
─ Um fake. Eu tinha que saber como vc agiria sem me conhecer. Desculpa mesmo! Vc não me decepcionou. Vc é tão perfeita quanto eu imaginava que era. Vc se superou pra mim...
Ela não sabia o que pensar. Não sabia se o odiava ainda mais ou se o admirava. Ele a fizera de idiota! Depois de deixá-la esperando como uma boba, finge ser outra pessoa! Isso era imperdoável!
─ Eu não imaginava que vc ia esperar tanto... Meu plano idiota te magoou, mas se estou te dizendo isso agora, é porque eu realmente estou apaixonado por vc! Gil, eu te amo, garota! Mais do que nunca!
─ Vc é um idiota! ─ saiu do MSN.
Gil não podia estar mais confusa. Não sabia o que pensar, nem o que sentir. Não conseguia ter raiva dele. Ele fora um cretino, mas mexera com ela, chamara sua atenção, conquistara-a, como havia prometido. Nenhum outro cara conseguia fazê-la ficar tão furiosa e confusa...
Resolveu tentar esquecê-lo. Mas a raiva não a deixava quieta nem um segundo. Ele não lhe saía de sua cabeça. Foi para a casa de sua melhor amiga, a (?). Tinha que conversar com alguém que confiasse. Ela estava ao seu lado quando mais precisava e nunca a abandonava. Acabou contando a ela toda a verdade. Era como tirar um peso enorme das costas. Ela a aconselhou, como sempre, fazendo-a se sentir muito melhor.
Mas não conseguiu tirá-lo da cabeça. Marcou um encontro com seu namorado, (?) e percebeu o quanto ele e Dark Gero eram diferentes... Ela amava (?), mas o fato do outro ser tão imperfeito e misterioso fazia-a ficar terrivelmente desconcertada. Sim... talvez a pessoa que ela realmente a amava era a que a estava fazendo sofrer...
Dois dias depois, teve uma surpresa horrível.
O carteiro entregou-lhe um estranho pacote. Ela foi para seu quarto, curiosa para saber o que era.
Era um CD. E uma carta.
Estranhou. A carta dizia para ela não tomar nenhuma atitude precipitada com relação àquilo e ir encontrá-lo naquela noite no shopping, no mesmo lugar com urgência. Embaixo estava assinado “Alex, o Dark Gero”.
Não suportando a curiosidade, colocou o CD no computador. A demora usual para ler o CD era uma eternidade naquele momento.
Era um vídeo.
Mostrava (?), sua amiga em um banco da praça. Estranhou. Por que Alex que enviaria um vídeo com sua amiga? Logo, (?) seu namorado aparecia e sentava-se ao lado de (?)...
... depois de lhe dar um caloroso beijo.
O chão sumiu sob os pés de Gil. Sua melhor amiga e seu namorado? Como podiam traí-la daquela maneira? Desligou o computador. Estava fervendo de ódio e desapontamento. Pensou em ligar para os dois cretinos e tirar aquela história a limpo...
Mas não ... Pegou novamente a carta. Seguiria o conselho de Alex...
Iria encontrá-lo.

● ● ●

Chegou cinco minutos antes do combinado. Dessa vez não haveria joguinhos ou testes. Ele teria de contar-lhe a verdade. Como sabia dos dois, desde quando eles a estavam traindo...
O celular tocou.
Número confidencial. Seria Alex?
─ Alô?
─ Gil? É você!?
─ Quem está falando?
─ Olha, quero que você preste total atenção ao que eu vou te dizer. Por favor, não interrompe!
─ O que é? Você está me assustando...
─ Eu sou Dark Gero. Seu namorado e sua amiga correm perigo!
─ Alex? Do que está falando?
─ Não! Eu não sou o Alex! Ele armou tudo. Me sabotou, Gil. No dia do nosso encontro, ele fez com que eu ficasse fora do caminho.
Gil. Estremeceu.
─ Que espécie de brincadeira é essa?
─ Olha, escuta bem... Não confia nele em hipótese alguma! Ele te enviou um vídeo?
A voz dela estava trêmula.
─ Sim...
─ É uma montagem, Gil. Não confie nele, me entendeu? Seu namorado e sua amiga estão em terrível perigo. Fica longe desse cara! Você não tem idéia do que ele pretende!
Gil desligou. Estava apavorada. A voz era grave como ele dissera que era. E estava tão assustada que não tinha como ser mentira. Saiu de onde estava sentindo o corpo inteiro tremer. Estava paranóica. (?) e (?) estavam em perigo? Discou o número de sua amiga.
Dez toques. Nada dela atender. Ela sempre atendia no segundo! Ligou para seu namorado. O celular dele estava fora de área. Começou a entrar em pânico...
─ Gil!?
Seu coração pareceu disparar. A voz atrás dela agira como um veneno paralisante. Não conseguia se mexer. Sentiu o toque em seu ombro. O dono daquele belo par de olhos azuis passou para a sua frente.
─ Gil, você está bem? ─ perguntou Alex, perante os apavorados e arregalados olhos da garota...



(Continua!)

Escrito por Dark Gero às 16h20
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Nordeste, TERESINA, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese, English, Livros, Música, Humor em Geral
Outro -

Histórico